quinta-feira, 8 de agosto de 2013

MEIOS DE CONTRASTES

MEIOS DE CONTRASTES

Contrastes iodados são substâncias injetadas na veia para realização de alguns exames, com o objetivo de melhorar a visualização e auxiliar na investigação de inúmeras doenças. Podem ser usados em diversos tipos de Raios X (como por exemplo na urografia excretora ou numa histerossalpingografia) bem como em tomografias computadorizadas. Estes produtos são muito úteis para detecção precoce de doenças e tem ampla utilização, mas infelizmente podem provocar em algumas pessoas reações indesejáveis e algumas vezes graves. Estas reações são imprevisíveis e dependem das características de cada pessoa. Um exemplo que chegou às páginas dos jornais foi o caso do Pelé, herói do futebol, ex Ministro de Esporte e que durante a realização de exames de rotina para avaliação das coronárias em 2002, teve reação adversa ao iodo usado como contraste na tomografia.
Quais os tipos de contraste? Existem diversos tipos de contrastes iodados, sendo os mais indicados chamados de baixa osmolaridade ou não iônicos e foram desenvolvidos com o objetivo de diminuir a ocorrência de efeitos adversos.
Como se origina uma reação adversa? As reações adversas podem ser tóxicas, ou seja, ocorrendo em resposta à ação direta do contraste, sendo dependentes da dose e podendo se manifestar com calor e dor no local da injeção ou com sintomas gerais. Entretanto, algumas pessoas podem ter um outro tipo de reação, chamado de reação anafilactóide por ser muito semelhante ao choque anafilático, mas sem que se comprove um mecanismo alérgico verdadeiro. Na realidade, ainda não está totalmente esclarecido o mecanismo pelo qual o contraste iodado provoca alergia.
Como se manifestam estas reações? A maioria dos pacientes que utiliza contraste iodado evolui bem, sem problemas e as reações, quando surgem, tendem a ser leves e passíveis de controle pelo médico. Os casos mais freqüentes são as chamadas reações vasovagais, em geral sem gravidade, como náuseas, vômitos, e palidez. As reações pseudo-alérgicas podem provocar coceira na pele ou evoluir com surgimento de urticária, angioedema, rinite, conjuntivite, broncoespasmo, edema de laringe, diminuição da pressão arterial e síncope. Alem disso, relatam-se mais raramente reações cardiovasculares e renais.
Existem pessoas que podem ter maior risco de reações? Sabe-se que o risco de reações é maior: - nas pessoas que já tiveram reação em aplicação anterior de contraste,
-pessoas com história pessoal de alergia significativa,
-pessoas acima de 50 anos, diabéticos, hipertensos ou com problemas renais.
Que cuidado devo ter antes de ser submetido a um exame com contraste iodado? Na maioria dos pacientes, uma história clínica bem documentada é o instrumento suficiente ao médico especialista em alergia para instituir a conduta mais adequada. O teste cutâneo pode não ser fidedigno, pois o mecanismo, como já foi dito, nem sempre tem cunho comprovado alérgico. Havendo indicação, é recomendado o uso de pré-medicação com corticosteróides e antihistamínicos, a critério do especialista. Ressalta-se que o paciente deve informar se faz uso de alguma medicação contínua, pois alguns medicamentos deverão ser suspensos antes da realização do exame, como por exemplo os betabloqueadores. Recomenda-se que o exame seja realizado em local adequado e se necessário, em ambiente hospitalar, dotado de condições para tratar de imediato e reverter possíveis efeitos adversos.
Lembrete importante: simples relato de alergia a camarão ou a frutos do mar não contra-indica o uso de contraste iodado. O
Fonte: Equipe médica do Blog da Alergia w.imaginologia.com.br




ANGIOGRAFIA CEREBRAL




sábado, 27 de abril de 2013

Hemodinâmica Philips  F D-10

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

MODELOS DE LAUDO RX

RADIOGRAFIA DO CRÂNIO PA/PERFIL




ASPECTOS OBSERVADOS:



Estruturas ósseas visualizadas anatômicas.

Sela túrsica de dimensões normais e configuração anatômica.
Ausência de calcificações patológicas intracranianas.

Partes moles sem alterações radiológicas significativas.




IMPRESSÃO DIAGNÓSTICA: Exame de aspecto normal.


     --------------------------------------------------------------


     RADIOGRAFIA DOS SEIOS DA FACE




ASPECTOS OBSERVADOS:



Seios maxilares simétricos, de paredes íntegras e finas e de transparência normal.

Etmóides transparentes, com septos intercelulares conservados.

Seios frontais de transparência normal e contornos regulares.




IMPRESSÃO DIAGNÓSTICA: Exame de aspecto normal.


     -------------------------------------------------------------


RADIOGRAFIA DA COLUNA VERTEBRAL TOTAL



ASPECTOS OBSERVADOS:



Eixo longitudinal normal da coluna vertebral.

Cristas ilíacas niveladas.

Corpos vertebrais íntegros e alinhados.
Espaços discais preservados.

Elementos do arco posterior normais.

Articulações interapofisárias normais.

       

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

O QUE É TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA?

O QUE É TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA?




A Tomografia Computadorizada é um exame diagnóstico que produz imagens com grande clareza de qualquer parte do interior do corpo humano. É totalmente indolor e não apresenta nenhuma contra-indicação, qualquer paciente pode realizá-lo.





COMO É FEITO O EXAME DE TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA?



O paciente permanecerá deitado e imagens da região a ser estudada são captadas através de um arco que emitirá as imagens para um computador. A duração do exame é de apenas 15 minutos. O único desconforto será o de permanecer imóvel para que as imagens possam ser reproduzidas com qualidade. O técnico responsável poderá se comunicar com você durante toda a realização do exame.





O QUE É MEIO DE CONTRASTE?



Poderá haver a necessidade de se utilizar um meio de contraste a fim de aumentar a capacidade diagnóstica da região a ser analisada. O Contraste é uma substância líquida, segura que será injetada na veia durante a realização do exame. Em alguns casos, poderá ocorrer gosto metálico na boca e calorões, que passarão em alguns instantes. Os técnicos e os médicos estarão disponíveis para responder a quaisquer dúvidas sobre o procedimento.





COMO O PACIENTE DEVE SE PREPARAR PARA O EXAME?



No momento da marcação do seu exame você recebeu algumas orientações sobre o preparo antialérgico, que devem ser seguidas rigorosamente. O paciente precisa informar se possui qualquer tipo de doença ou alergia. Deve-se iniciar o preparo 2 dias antes do exame ser realizado. Será necessário tomar 1 comprimido de 12 em 12 horas até o dia do exame e no dia, 2 comprimidos 1 hora antes da realização do mesmo, fazendo jejum total de 6 horas.



É NECESSÁRIO SUSPENDER O USO DE OUTROS MEDICAMENTOS DURANTE O PREPARO ANTIALÉRGICO?



Geralmente não é necessário suspender nenhuma outra medicação. Porém, se o paciente for diabético e fizer uso de Glucoformin, será necessário parar por 6 dias (3 antes e 3 dias após o exame) com esta medicação para realizar a Tomografia Computadorizada com o uso do contraste.





EXISTE ALGUMA FORMA DO PACIENTE AJUDAR NA REALIZAÇÃO DO EXAME?



O paciente possui um papel fundamental para o sucesso do exame. Quanto mais tranqüilo e confortável estiver, maior será a probabilidade do resultado ser bem sucedido. Recomenda-se fechar os olhos e pensar em algo agradável. Você deve permanecer imóvel e respeitar as solicitações feitas pelo Técnico responsável. Caso seja necessário, você poderá se comunicar com o Técnico durante a realização do exame.



sábado, 27 de junho de 2009

TOMOGRAFIA DE CRANIO

TOMOGRAFIA



Mesa de exames:

Local onde o paciente será posicionado para inicio do estudo, devendo ser constituído de material rádio transparente e com alta resistência. A mesa possui um sistema pneumático para facilitar o posicionamento e remoção do paciente da mesa.
Alguns acessórios são utilizados para melhor imobilização do paciente durante o estudo. Por exemplo: extensor de mesa, suporte de cabeça, suporte lateral para extremidade e material de contenção para pacientes agitados.

Sala de comando:

A mesa de comando é o local onde todas as informações mediante os protocolos, dados dos pacientes e manipulação de imagens são realizadas. As imagens podem ser adquiridas e ficar arquivadas e depois ser tratadas com filtros especiais ou até mesmo enviadas para uma outra unidade.

PROTOCOLOS:

Cada exame tem protocolo especifico, sempre buscando os melhores parâmetros técnicos para uma resposta da patologia pesquisada.
Dessa forma, os protocolos mais comumente usados nos serviços especializados em Tomografia Computadorizada estão relacionados com as patologias e com imagens que mais acometem a região analisada, já que a abordagem de todos os exames e suas patologias não é o propósito principal.


CT DE CRANIO

A anamnese antes do inicio do exame é muito importante para a melhor escolha da técnica a ser utilizada e a viabilidade do meio de contrastes. O uso do contraste na TC vai depender da hipótese diagnostica ou achados relevantes durante a realização do estudo. Em tumores cerebrais e alterações vasculares sempre há necessidades da realização de contrastes.












PLANEJAMENTO “ SCOUT” OU ESCANOGRAMA

. Estudos realizado no modo convencional, plano axial.

INDICAÇÕES DOM EXAME DE TOMOGRAFIO DO CRANIO

. Tumores do Encéfalo;
. Processos infecciosos;
. Doenças Vasculares ( aneurisma);
. Doenças degenerativas;
. Traumas crânio encefálicos (TCE);
. Má formação congênita;
. AVC ( acidente vascular isquêmico ou hemorrágico).


Posicionamento do paciente.....................Suprime ( Head Firts)
Espessura do corte....................................de 5 a 10mm
Incremento................................................variando 3 a 10mm
Kv 120Kv
Tempo 1 a 2 seg.









.

quinta-feira, 25 de junho de 2009

ARTERIOGRAFIA


O que é arteriografia?
A arteriografia (ou angiografia) é um método de diagnóstico radiológico minimamente invasivo que procura visualizar a parede das artérias focalizadas, para estudar as doenças arteriais ou doenças com importante participação arterial. Este exame exige que seja injetado um contraste rádio-opaco no interior das artérias, para permitir a visualização do vaso sanguíneo em causa. Se houver uma obstrução (entupimento) completa de uma artéria, o contraste não passa além dela e, assim, não permite observar a extensão da lesão, nem avaliar a parede da parte daartéria que se segue à obstrução.



Quais são as indicações para se fazer uma arteriografia?
A arteriografia pode ser um procedimento eletivo ou de urgência/emergência. De maneira eletiva, a arteriografia pode ser usada para ajudar no diagnóstico e avaliação de malformações arteriais, aneurismas ou aterosclerose em diversos territórios orgânicos, como a aorta e artérias periféricas (mesentéricas, renais e dos membros inferiores). Como exame de urgência/emergência a arteriografia é indicada para diagnosticar doenças agudas que podem acometer as artérias, como dissecção aguda, alguns acidentes vasculares cerebrais ou embolias (coágulos provenientes de locais distantes, que entopem as artérias) outromboses (formação de um coágulo ou placas de gordura nas paredes da artéria).


      

    terça-feira, 23 de junho de 2009

    ROTINAS DE EXAMES


    ROTINAS DE EXAMES


    A participação do técnico em radiologia para o procedimento dos exames de raios-X, tomografia computadoriza, ressonância magnética e outros começam no momento em que a recepção entrega a solicitação medica.


    01. OBSERVAR SEMPRE:


    1. Sala limpa e adequada para realização do exame
    2. matérias e acessórios nos devidos lugares
    3. O aparelho de Raios-X deve ser ligado antes de chamar o paciente.
    4. observar sempre o chassi em boas condições de uso.
    5. Manter a processadora limpa e criar rotina para limpeza.
    6. Manter os filmes em lugares adequados e seguros.
    7. Observar sempre o tempo de uso do químico (evitar sempre o reuso por muito tempo).
    8. Sempre que for receber um plantão, conferir todo serviço.
    9. Sempre que entregar um plantão, observar se todos os exames realizados foram passados para a sala de laudo; (caso falte algum, comunicar o Tec. Que estiver recebendo o plantão).
    10. Nunca assuma responsabilidades sobre laudos.
    11. Sempre protocolar as películas entregue os outros setores do hospital ou clinicas.
    12. Antes de identificar o paciente conferir os dados no cadastro (evitando troca de exames).
    13. Procurar criar um livro de ocorrências, anotarem todos ocorridos durante o plantão.

    02. DURANTE ALGUNS EXAMES:

    RAIOS – X DO TORAX:

    01. Observar o posicionamento correto do paciente (evitar radiação desnecessária).
    02. Ao pedir para o paciente encher o peito, em seguida mandar respirar normal.
    03. Raios-x no leito (ter cautela e paciência com o paciente) pedir ajuda aos técnicos de enfermagem caso tenha dificuldades em movimentar o paciente.
    04. Não retirar monitores dos pacientes sem a permissão dos enfermeiros.
    05. Observar se existe realmente a necessidade da troca de roupa.

    RAIOS X DE CRIANÇAS:

    01. Caso tenha dificuldades, solicitar ajuda do acompanhante (colocar avental de proteção).
    02. Evitar expor por muito tempo à radiação.

    Followers

    Pesquisar este blog

    Carregando...

    Blogger templates